Funcionamento

Buchas Convencionais
Nos sistemas / buchas convencionais, o uso de óleo, graxa ou outro tipo de lubrificante proporciona um movimento mais suave, mas NÃO impede o contato físico direto do eixo com a bucha. O resultado é o desgaste da bucha e, consequentemente, folga de trabalho no equipamento, perda de precisão, parada para manutenção, cessão da produtividade e gastos desnecessários com consertos.
Autolubrificantes 

Nos sistemas autolubrificantes, as buchas, placas, anéis, mancais e casquilhos, são impregnados ou revestidos com um lubrificante seco e sólido que se desprende microscopicamente pela ação do contramaterial durante a operação do equipamento. Para tanto, há uma recomendação para a rugosidade do mesmo.

Este lubrificante seco e sólido, preencherá TODAS as rugosidades do contramaterial até que um filme / camada se forme entre ele e a peça autolubrificante ( bucha, placa, anel, etc ), impedindo o contato físico direto entre ambos. Este é o motivo pelo qual, um material autolubrificante tem durabilidade muito maior que um sistema convencional ( óleo, graxa, etc ).